fbpx

Marketing Médico: conheça as melhores estratégias

13/10/2021

O marketing médico é um assunto extremamente importante, especialmente as ações digitais. Afinal, os pacientes (seguindo a mesma lógica dos consumidores tradicionais) têm transformado a maneira como interagem com os profissionais e tomam decisões.

A pandemia trouxe um impulso extra nessas modificações, fazendo com que um número maior de pessoas passassem a usar a internet para diferentes demandas, inclusive as questões de saúde.

O paciente digital, seja ele da geração Covid-19 ou não, é mais empoderado e consegue acessar rapidamente qualquer informação por meio da internet. Por isso, ele tem altas expectativas em relação aos médicos, desejando que esses profissionais não mantenham contato apenas na consulta, mas também por meio de outros canais.

A atração desses pacientes também precisa ser feita de forma diferenciada. Dados do Google mostram que a cada 20 pesquisas realizadas na plataforma, 1 é sobre saúde.

Assim, sem dúvida, ter uma estratégia de marketing digital para médicos deixou de ser um diferencial e se tornou uma necessidade. Para lhe ajudar, montamos este conteúdo completo com tudo o que você precisa saber sobre o tema!

O que é permitido no marketing médico?

Antes de pensar em estratégias de marketing médico, é fundamental se atentar às regras de publicidade médica, considerando o que indica o código de ética da profissão e as regulamentações do Conselho Federal de Medicina, CFM.

Alguns pontos são proibidos em qualquer ação de marketing médico, como:

  • postar selfies com pacientes (mesmo com autorização do paciente);
  • fotos de “antes” e “depois” (mesmo que seu paciente publique essas fotos nas redes sociais dele, você não poderá fazer o repost);
  • divulgar preços de consultas e tratamentos, bem como as modalidades aceitas de pagamentos ou parcelamentos;
  • concessões de descontos de forma a estabelecer diferenciais na qualidade do serviço;
  • divulgar tratamentos não comprovados cientificamente;
  • abordar temas médicos com sensacionalismo;
  • não incluir CRM em anúncios;
  • prometer resultados;
  • apresentar descobertas que não são suas;
  • anunciar aparelhagem que lhe atribua capacidade privilegiada;
  • participar de concursos que elejam “o melhor médico”;
  • oferecer cupons de desconto e manter parcerias com indústrias de programas do segmento medicinal.

Então, o que pode na publicidade médica?

De acordo com o código de ética, a publicidade médica deve ser socialmente responsável, discreta e verdadeira, respeitando a privacidade e a intimidade do paciente, não visando o lucro, mas, sim, a informação.

Assim, é permitido:

  • divulgar seus serviços (desde que atendendo às orientações do código de ética);
  • informar suas especialidades (no máximo 2), seu registro no CRM e o RQE referente à especialidade divulgada;
  • criar um blog para oferecer informação rica e valiosa aos pacientes;
  • divulgar os equipamentos e tecnologias da sua clínica, desde que essa divulgação não coloque esses equipamentos como melhores ou garantias de resultado;
  • conceder entrevistas para elucidar informações e ajudar a sociedade a compreender melhor algum tema.

O descumprimento dessas regras pode resultar em processos éticos e até levar à condenação do profissional por violação do código de ética, com medidas que variam de advertência à cassação.

Como fazer marketing digital para médicos?

Agora que já vimos o que pode e não pode ser feito, que tal algumas dicas práticas para começar a montar a sua estratégia de marketing médico? Separamos orientações a respeito das estratégias digitais, já que são elas, hoje, uma das principais fontes de atração e fidelização de pacientes.

Planejamento, objetivos e personas

Qualquer estratégia de marketing digital deve começar com um bom planejamento, que será a base para alcançar os objetivos esperados.

O primeiro ponto, portanto, é entender o que você espera das suas ações de marketing, ou seja, os objetivos. Mas não vale pensar em qualquer meta, uma boa dica é usar a metodologia das metas SMART.

Ou seja, as suas metas devem ser:

  • Specific (específicas), por exemplo, aumentar a captação de novos pacientes em 5% com o marketing digital;
  • Measurable (mensurável), por exemplo, aumentar a captação de novos pacientes em 5%, dentro de 6 meses, usando o marketing digital;
  • Attainable (atingível), verifique se a meta não está fora da realidade e se é possível obter esses resultados considerando seus investimentos, conhecimentos e equipe;
  • Relevant (relevante), a meta precisa trazer impacto ao seu consultório ou ela será desmotivadora;
  • Time based (temporal), indicando o período certo para que a meta seja alcançada.

Depois de definir suas metas, é hora de traçar as estratégias para chegar lá. Um ponto de partida importantíssimo diz respeito à persona para médicos.

Persona

A persona é um perfil semifictício do seu paciente ideal – e bastante usado nas estratégias de marketing digital. Isso porque ela é mais afunilada do que os tradicionais “público-alvo”.

Para traçar a persona, você deve pensar nas características dos seus pacientes, não apenas socioeconômicas, mas também comportamentais.

Por exemplo: idade, escolaridade, fonte de renda, onde vivem, quais os principais problemas de saúde que apresentam, quais as dificuldades/medos/inseguranças em relação aos tratamentos que você oferece, quais redes sociais mais usam, como falam, o que desejam encontrar em um médico etc.

A sua clínica pode ter várias personas, por exemplo uma para cada especialidade ou tratamento que você oferece.

Esse é o ponto de partida para qualquer estratégia, pois todas as demais decisões devem ser sempre focadas na sua persona e nos objetivos traçados.

Mapeamento da jornada do paciente

Ainda na fase de planejamento, é fundamental que você faça o mapeamento da jornada do paciente – ela está relacionada ao “caminho” que o paciente percorre até se decidir por agendar uma consulta com você e também no pós-tratamento, pensando em termos de fidelização.

Geralmente a jornada do paciente envolve algumas fases que são:

1) consciência: é o momento que o paciente faz uma autoavaliação da sua condição e percebe que está enfermo, buscando mais detalhes e soluções para os sintomas que está apresentando. Geralmente, o paciente faz uma busca no Google ou interage nas redes sociais de médicos e profissionais de saúde;

2) seleção: é quando o paciente começa a pesquisar por médicos, clínicas e instituições de saúde que podem ajudá-lo a resolver o problema, analisando as especialidades e a experiência de cada profissional, bem como as opiniões de outros usuários;

3) atendimento: é quando o paciente decide pelo agendamento da consulta. Ele avalia as informações presentes no site da clínica e nas redes sociais e também o atendimento recebido pelas secretárias ou a facilidade em conseguir um agendamento;

4) tratamento: é o momento da consulta, desde que o paciente chega a sua clínica até quando ele sai dela. Ele costuma avaliar pontos como localização, decoração, cordialidade, pontualidade e também o atendimento humanizado prestado pelo profissional;

5) pós-tratamento: depois da consulta, o paciente não deseja que o contato com o médico seja finalizado. Por isso, um acompanhamento no pós-consulta é fundamental, tirando dúvidas e ajudando o paciente a seguir o tratamento;

6) avaliação: caso todas as etapas tenham sido cumpridas positivamente, o paciente costuma indicar e fazer avaliações positivas sobre você e sua clínica nas redes sociais e em outros ambientes virtuais. Mas se alguma dessas etapas não for boa, ele poderá acabar usando a rede para avaliar negativamente seus serviços.

Mapear a jornada envolve entender todos os pontos de contato que o seu paciente tem com a clínica – e tentar otimizá-los, para que a pessoa tenha a melhor experiência possível.

Perceba que não adianta apenas oferecer uma boa consulta, porque ela é uma das várias etapas de relacionamento do seu paciente.

Site

O site para médico é um dos pilares de qualquer estratégia digital, pois é ele que reúne as informações básicas sobre você, suas especialidades e sua clínica, transmite confiança e segurança aos pacientes e ainda ajuda a posicionar melhor a sua marca no Google. Por isso, é impossível falarmos em marketing médico digital sem um site.

Mas, é claro, que não é qualquer site que trará resultados. Veja as dicas que separamos de como fazer um site para médico:

  • atente-se ao layout e ao design, que devem ser leves, de fácil leitura e navegação;
  • use conteúdos informativos, concisos e adequados, explicando sobre a sua clínica, as especialidades atendidas, os médicos que trabalham nela e os tratamentos oferecidos;
  • use imagens da clínica para ilustrar o site e transmitir credibilidade;
  • atente-se para a área de contato, incluindo telefones atualizados, endereço (se possível linkando com o Google Maps) e formas de contato rápido (como link para WhatsApp ou um robô de conversação);
  • tenha um site responsivo (que funciona bem em qualquer tamanho de tela, desde o computador de mesa até o smartphone);
  • tenha um site que carrega rápido (principalmente para aqueles pacientes que estão fazendo o acesso via 3g ou 4g);
  • use as palavras-chaves mais importantes para a sua área nos textos e conteúdos do site;
  • não se esqueça das boas práticas de SEO (Search Engine Optimization), como inclusão de chamada de ação, meta description e palavras-chaves.

Na hora de estruturar as informações, pense em como o seu site pode ajudar o futuro paciente a entender seus diferenciais e a sentir confiança para agendar uma consulta. Novamente, é importante considerar as características da persona que você elaborou.

Blog

O blog deve ser aliado ao seu site. Ele é uma excelente ferramenta para o marketing de conteúdo para médicos.

Nós explicamos que, de acordo com as orientações do CFM, a publicidade médica deve, sempre, ter um caráter informativo. E o blog é um grande aliado nesse processo. Afinal, a ideia é divulgar conteúdos ricos e informativos, que ajudem os pacientes a entenderem melhor sobre as condições de saúde, os tratamentos e formas de ter mais qualidade de vida e bem-estar.

Quando bem estruturado, um blog é capaz de:

  • melhorar a sua imagem profissional, tornando você uma autoridade na sua área, por oferecer conteúdo rico e valioso aos pacientes;
  • atrair mais pacientes, posicionando melhor a sua marca nas pesquisas do Google, para as palavras-chaves principais do seu setor;
  • ajudar a direcionar o tráfego para o site da sua clínica, aumentando as chances de conversões em agendamentos de consulta;
  • aumentar a adesão aos tratamentos, devido ao compartilhamento de informações valiosas;
  • educar seus pacientes, que chegarão para as consultas mais bem informados e preparados.

Para que o blog traga todos esses resultados, é muito importante que haja um bom planejamento. Analise suas personas e pense nas principais dúvidas que elas podem ter (inclusive considerando as dúvidas comuns dos seus pacientes em consultório).

Monte um calendário editorial com esses temas e crie conteúdos que sejam informativos e que abranjam todo o tema, ajudando, efetivamente, o seu paciente.

Banner do webinar presença digital para médicos

Redes Sociais

O marketing médico para redes sociais é um tema bastante delicado, pois muitos profissionais acabam cometendo alguns deslizes, especialmente em relação às fotos usadas e mensagens propagadas.

Para não errar, sempre considere as orientações éticas que explicamos e as características do seu público. Você não precisa estar em todas as redes sociais, mas deve manter um perfil ativo e informativo nas redes que seus pacientes mais usam.

Facebook para médicos

O Facebook ainda é a rede social mais usada pelos brasileiros, por isso é importante ter uma página da sua clínica nela (não um perfil pessoal, afinal, estamos falando de estratégias de marketing).

Use essa rede social para divulgar informações valiosas. Lembre-se que as pessoas estão no Facebook para interagir, então prefira textos curtos e diretos. Os vídeos também são tendência e ajudam a engajar melhor.

Você pode criar postagens tirando as dúvidas mais usuais, divulgando gráficos informativos, trazendo novidades da sua área, informando sobre sua participação em simpósios e congressos e trazendo curiosidades para seus pacientes.

Instagram para médicos

O Instagram é uma das redes sociais que mais crescem – e por isso você não pode ficar de fora dela. Porém, o Instagram médico exige alguns cuidados. Como essa é uma rede, majoritariamente, de imagens e vídeos, evite expor seus pacientes com as fotos de antes e depois e outras que não são permitidas pelo código de ética.

Uma das vantagens que o Instagram de médicos oferece é a variedade de recursos. Você poderá usar os Stories para mostrar os bastidores da sua clínica ou até para fazer perguntas aos seus pacientes sobre temas que eles têm dúvidas.

Use o Reels para passar informações de maneira leve e direta. Crie lives sobre os temas indicados pelos seus pacientes e convide outros profissionais da saúde para participar.

São muitas as formas que a rede oferece para você se relacionar com seus pacientes – então não perca essa oportunidade, pois é esse engajamento que faz a diferença na visão que essas pessoas têm de você, ajudando a se firmar como uma autoridade na sua área.

LinkedIn

O LinkedIn é uma rede social um pouco diferente das demais, já que o foco não é falar com os pacientes, mas sim com outros profissionais da saúde que podem indicar os seus serviços.

Assim, o LinkedIn para médicos é indicado para quem deseja aumentar o seu networking, ou para médicos que trabalham diretamente com outros, como no caso dos anestesistas.

No LinkedIn, além de um perfil atualizado, foque em postar conteúdos interessantes sobre sua área, novidades e estudos científicos e também participar de grupos de profissionais e debates.

TikTok

O TikTok é uma rede social nova – e que tem atraído muita atenção. Ele é uma verdadeira febre, especialmente entre os mais novos, como os adolescentes. Se este é o seu público, vale a pena investir na novidade.

Porém, cuidado para não infringir os limites éticos. Você pode usar vídeos divertidos para passar informações importantes aos usuários, como primeiros socorros em casos de convulsão, métodos contraceptivos, perigos de tomar medicamentos sem acompanhamento médico etc.

Essa é uma rede com alto poder de viralização, por isso, cuidado com os conteúdos que você cria e compartilha, usando o TikTok para médicos com bom senso. Sempre se mantenha dentro da sua área de especialidade e evite criar intrigas ou se envolver em polêmicas que podem manchar sua imagem e sua reputação.

E-mail marketing

O e-mail marketing para clínicas médicas é uma importante ferramenta. Já foi o tempo em que o disparo de e-mails era feito em massa, no pior estilo Spam, e sem nenhuma estratégia.

Hoje, ele é excelente para se relacionar com seus pacientes, enviando informações, por exemplo, sobre os conteúdos postados no seu blog, e ajudando a tirar dúvidas e a fidelizar os pacientes.

Também é possível fazer disparos para aqueles que ainda não são seus pacientes, mas se relacionaram com suas ações digitais, aumentando as chances de conversão.

Alguns usos possíveis do e-mail marketing para médicos são:

  • confirmação de consultas;
  • avisos de necessidade de retorno ou acompanhamento em tratamentos longos;
  • avisos sobre necessidade de tomar determinados medicamentos (como calendário vacinal das crianças para as mães);
  • e-mails após consultas ou exames, agradecendo a preferência e enviando um questionário sobre o atendimento;
  • e-mail de pré-consulta ou exame, com indicação de horário e orientações;
  • envio de felicitações em aniversários;
  • informativos sobre novos serviços, tratamentos ou alterações na sua clínica;
  • newsletter com dicas e informações importantes.

Links Patrocinados

Os links patrocinados são os anúncios feitos na internet, como o Google Ads para médicos e o Facebook Ads para médicos. A intenção é atrair mais tráfego para o seu site ou para suas redes sociais, melhorando as chances de conversão.

A principal vantagem é que essas ferramentas oferecem um retorno mais rápido. Nas redes sociais, como o Facebook e o Instagram, por exemplo, as mudanças constantes nos algoritmos fazem com que seja muito difícil atingir os usuários sem o impulsionamento.

No Google, a concorrência é grande e pode ser demorado posicionar bem, para as principais palavras-chaves, sites novos ou blogs sem tantos conteúdos. Por isso, os links patrocinados se tornam ferramentas muito úteis.

Mesmo com pouco investimento, é possível obter excelentes resultados, desde que os anúncios sejam bem otimizados e focados nos objetivos que você definiu para suas estratégias.

Porém, fique atento, porque alguns anúncios e termos são proibidos pelo CFM, como: promoção de consulta médica, agende sua consulta com desconto, medicamentos sem prescrição médica, farmácias online, produtos e serviços relacionados a gravidez e fertilidade, serviços e procedimentos médicos, dispositivos médicos e exames e recrutamento para testes clínicos.

No Google Ads, você poderá exibir seus anúncios na rede de pesquisa (são os anúncios de texto que aparecem quando o usuário pesquisa algum termo ou palavra-chave) e na rede de display (gráficos ou banners em sites frequentados pelo seu público).

Métricas

Para ter certeza que suas ações digitais estão trazendo os resultados esperados, é muito importante verificar continuamente as métricas.

Elas são indicativos que demonstram os resultados que estão sendo obtidos. Por isso, as métricas devem ser definidas de acordo com seus objetivos.

Vamos supor que um dos seus objetivos seja aumentar a captação de pacientes. Você pode verificar quantas novas consultas foram agendadas a partir de cada plataforma (Facebook, Instagram, Site etc.) – e quantos desses pacientes realmente compareceram às consultas.

Outras boas métricas para se acompanhar são: custo por aquisição (que mostra quanto custou atrair um paciente para sua clínica), número de leads gerados (potenciais pacientes), canais de tráfego que mais convertem leads em pacientes, conteúdos que convertem mais leads etc.

Assessoria para marketing médico: como escolher

Como você pode notar, o marketing médico exige muito cuidado e qualificação. Tanto no planejamento, como no desenvolvimento das estratégias, garantindo que o seu investimento trará o retorno esperado – e que nenhuma infração ética será cometida.

Por isso, uma assessoria faz toda a diferença, e garante que você atingirá os objetivos propostos.

Na hora de escolher a assessoria, verifique pontos cruciais como:

  • equipes especializadas;
  • conhecimento da área médica e das especificações do código de ética;
  • experiência atendendo outros profissionais do setor;
  • resultados verificáveis;
  • diferentes tecnologias para atingir as metas esperadas.

Wtlab

A Wtlab é uma empresa de marketing digital especializada no setor da saúde, que atua no desenvolvimento de estratégias e soluções de marketing para profissionais e empresas na área da saúde e bem-estar.

Buscamos humanizar o marketing para médicos, gerando empatia e focando no conhecimento do seu público, criando conexões emocionais, sempre seguindo os preceitos do código de ética da profissão.

Conclusão

Neste conteúdo, você viu que o marketing médico possui algumas peculiaridades que precisam ser consideradas. Mais importante do que tentar vender, deve ser sempre oferecer conteúdos e informações valiosas para seus pacientes, ajudando a destacar a sua clínica e a fortalecer a sua autoridade e presença digital.

Quando bem executado, o marketing médico ajuda os pacientes a ficarem mais bem informados e confiantes, seguros para agendarem consultas e procedimentos com você – mantendo, assim, sua agenda sempre cheia.

Porém, para conseguir todos esses resultados, é importantíssimo contar com uma boa assessoria, com equipes especializadas e capacitadas, acostumadas a lidarem com a área da saúde.

Gostou das nossas dicas? Já sabe tudo sobre marketing médico? Entre em contato com nossas equipes e saiba como podemos ajudá-lo!