fbpx

Telemedicina: Tudo que você precisa saber antes iniciar

26/06/2020

Devido a pandemia e o isolamento social, muita coisa vem mudando no dia a dia das pessoas e uma das áreas mais atingidas foi a saúde.

Para reduzir o risco de contaminação dos médicos e dos pacientes, o Conselho Federal de Medicina (CFM) autorizou no dia 19 de março, por meio do ofício nº 1756/2020o uso da Telemedicina. Assim, agora os médicos podem fazer teleorientação, teleinterconsulta e telemonitoramento.

Mas há uma questão que não quer calar: a sua clínica está preparada para essa mudança? Você possui o treinamento necessário, os softwares para serem utilizados e uma equipe que consiga agendar os pacientes pensando nessa nova possibilidade? Pois é, todas essas questões são de grande importância para avaliar o mais rápido possível.

Para ajudá-lo a deixar o caminho mais fácil de ser trilhado, resolvemos fazer este conteúdo e esclarecer todas as suas principais dúvidas com dicas práticas. Confira abaixo.

Quando utilizar a Telemedicina?

O médico deve utilizar a telemedicina em qualquer caso? Se não, em quais? Por exemplo, médicos em PSFs podem utilizar a tecnologia para fazer a teleorientação aos seus pacientes que estão em isolamento.

Dessa forma, reduz o risco não só de contaminação de toda a equipe de saúde, evitando a ida dessas pessoas à unidade básica, mas também de todas as pessoas com as quais elas podem ter contato durante o trajeto.

O médico pode realizar não só um suporte assistencial como também consulta, monitoramento e diagnóstico do paciente por meio da Telemedicina. É o que diz o artigo 2º da portaria nº 467 de março de 2020:

“As ações de Telemedicina de interação à distância podem contemplar o atendimento pré-clínico, de suporte assistencial, de consulta, monitoramento e diagnóstico, por meio de tecnologia da informação e comunicação, no âmbito do SUS, bem como na saúde suplementar e privada.”

Receitas médicas na Telemedicina

No atendimento online o profissional pode fazer orientação sobre uso de medicamentos. E quanto à prescrição e ao uso das receitas médicas? Nesse caso, o médico deve ter uma assinatura digital para utilizar nesses documentos e fazer a prescrição. Essa assinatura é capaz de comprovar a identidade do seu dono por meio de um certificado digital. Fazendo isso em uma empresa de credibilidade, a sua assinatura estará totalmente segura.

Existe também uma outra forma, no entanto, essa envolve contato com outras pessoas. Por meio de plataformas de Delivery como o Bee Delivery, Uber e Juma, os pacientes podem chamar um motoboy para buscar sua receita médica.

O que o paciente precisa saber?

Para que não haja frustrações por parte do paciente, antes de iniciar uma teleconsulta a secretária deverá informá-los sobre:

  • Como funcionará o atendimento online;
  • Se o convênio do paciente já está aceitando essa nova modalidade;
  • Caso seja particular, o valor da consulta e forma de pagamento.

É importante que o médico, ao iniciar o atendimento, informe ao paciente que há a autorização pela portaria e como se dará o atendimento. Instruir o paciente com palavras simples e de fácil entendimento é ainda mais importante, pois uma consulta à distância oferece novos desafios. Lembre-se sempre de que o paciente está em uma situação de fragilidade e a questão de ser um atendimento a distância essa humanização do atendimento pode ser prejudicada em alguns momentos.

Banner do webinar faturamento médico hospitalar na prática

Qual software utilizar na Telemedicina?

Bom, existem diversas opções de softwares para utilizar na hora de prestar o teleatendimento. Por exemplo, o próprio WhatsApp, um app bastante comum: cerca de 80% dos brasileiros utilizam o aplicativo, pelo menos, 1 vez por dia e 99% dos celulares do país possuem o app. Lembrando que estamos falando de uma população com mais de 210 milhões de pessoas.

Mas um dos principais problemas com o WhatsApp é que ele pode apresentar muita instabilidade e também atrasos de voz, o que prejudica a comunicação. E, se isso costuma acontecer com você, o melhor mesmo é buscar por outras opções e existem muitas no mercado com excelente qualidade.

O Zoom, por exemplo, tem despontado como um forte candidato e está sendo bastante utilizado por todos não só pela estabilidade da transmissão, mas também pela possibilidade de fazer uma videoconferência com várias pessoas ao mesmo tempo. Há também o Skype já bastante conhecido, o Microsoft Teams, sendo que todos eles funcionam bem pelo smartphone.

Para quem busca um software desenvolvido especificamente para a realização de teleconsulta e teleorientação, recomendamos o iClinic. O software permite realizar suas consultas remotamente, enviar orientações através de e-mails personalizados aos seus pacientes, disponibiliza o agendamento de consultas online e integra os dados da clínica e do paciente por meio do prontuário eletrônico.

Como divulgar esse novo serviço?

Para divulgar, o melhor a fazer neste momento é utilizando o marketing digital. Como as pessoas estão mais presentes na internet durante a pandemia, utilizar as redes sociais, o Google Ads, montar um site e utilizar outros meios do tipo é a melhor opção.

Para que esse novo serviço possa alcançar mais pessoas, você pode montar uma estratégia de anúncios tanto no Facebook quanto no Instagram. É importante ter uma persona definida e direcionar esses anúncios para essa persona.

Além das redes sociais, você pode investir no seu site, adicionando esse novo serviço e também no seu blog, criando conteúdos para explicar aos pacientes como esse novo formato de relação médico-paciente está funcionando.

O mais importante neste momento é mostrar para os seus pacientes que eles podem continuar cuidando da saúde, mantendo as consultas e o contato com os profissionais de saúde sem precisar sair de casa e aumentar o risco de contágio pela Covid-19.

Como médico, o melhor a fazer é entender, nos mínimos detalhes, tudo sobre como fazer consulta online e se adaptar para oferecer esse serviço o mais breve possível.

Compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais e ajude outros profissionais e pacientes que ainda estão em dúvida quanto a essa nova forma de atendimento médico!